Please reload

Posts Recentes

Is 53,10-11

Sl 32

Hb 4,14-16

Mc 10,35-45

Comecemos observando o Evangelho.

Notemos como os dois irmãos, Tiago e João, se dirigem a Jesus: “Queremos que faç...

Homilia para o XXIX Domingo Comum - Ano B

October 23, 2018

1/2
Please reload

Posts Em Destaque

O Tempo do Advento

December 29, 2008

A voz do meu Amado!

Vejam: vem correndo pelos montes,

saltitando nas colinas!

(Ct 2,8)

Tu vens, tu vens!

Eu já escuto os teus sinais!

A voz do Anjo sussurrou no meu ouvido

- eu não duvido, já escuto teus sinais:

que tu virias numa manhã de Domingo.

Eu te anuncio dos sinos das catedrais.

(Alceu Valença)

1. O significado

Tempo tipicamente latino, surgido no século. IV.

Tempo de alegre expectativa: a Igreja celebra, no memorial litúrgico,
a espera da humanidade
e do povo de Israel
pelo Salvador desejado pelo coração humano e prometido por Deus a Israel.

 

Na Gália era um tempo penitencial, sobretudo à espera do Cristo-Juiz: roxo, penitência e ausência de flores.

Liturgicamente, o Advento liga-se de modo natural aos últimos domingos do Tempo Comum, de sabor marcadamente escatológico, insistindo sobre a consumação e plenitude de todas as coisas com a Vinda do Senhor.

2. Sua articulação

Na liturgia atual, o Advento divide-se em duas partes bem distintas:

A primeira é formada pelos dois primeiros domingos e, continuando os últimos domingos do Tempo Comum, colocam a ênfase no Cristo que vem no final dos tempos. A Vinda de Jesus no Natal, deve recordar que é preciso tomar posição diante do Cristo: ele virá e nele o mundo está julgado!

A segunda parte é a Semana Santa do Natal (dias 17 a 24 de dezembro). É um período de riquíssima espiritualidade e intensos sentimentos: é preparação imediata para o Santo Natal. Marca deste período são as Antífonas Ó!

3. Personagens principais

Isaías, Maria Virgem, José, João Batista;

Também Zacarias e Isabel, Simeão e Ana e todos os anawim (= os pobres de Iahweh)

4. Atitudes próprias do Advento

· a vigilância na fé, na oração, na busca de reconhecer o Cristo que vem nos acontecimentos e nos irmãos;

· a conversão, procurando consertar nossos caminhos e andar nos caminhos do Senhor, para seguir a Jesus para o Reino do Pai;

· o testemunho da alegria que Jesus nos traz, através de uma caridade paciente e carinhosa para com os outros;

· a pobreza interior, de um coração disponível para Deus, como Maria, José, João Batista, Zacarias, Isabel;

· a alegria, na feliz expectativa do Cristo que vem e na invencível certeza de que ele não falhará.

5. Peculiaridades litúrgicas

1. a cor roxa, recordando a sobriedade de quem vigia e espera ansioso;

2. as flores na Igreja são usadas com moderação, também como sinal de expectativa;

3. não se canta o «Glória» na Missa, na expectativa feliz de cantá-lo na Noite Santa do Natal do Senhor.

Obs: Não é correto o uso do róseo, a não ser no terceiro domingo do Advento. O uso do róseo em todos os dias ou domingos desse tempo é um abuso, já que não é aprovado por Roma.

6. Sugestões pastorais

O “Natal em Família”

A leitura e meditação do Livro do Profeta Isaías

A Coroa do Advento e o Presépio

A valorização das Antífonas Ó

O incremento de uma autêntica espiritualidade Mariana (mais que o Mês de Maio, o Advento é o tempo mariano por excelência)!

A Celebração da Reconciliação sacramental (se possível com um momento comunitário)

O cuidado na decoração do espaço celebrativo: sobriedade e, a partir da Semana Santa do Natal, a ornamentação da Coroa e a armação do Presépio sem o Menino (colocado na Missa do Galo)

Toda a liturgia do Advento deve criar um clima de tensão alegre e ansiosa pela vinda do Senhor, deve desenvolver nos fiéis uma profunda nostalgia de Deus como Presença, Companhia, Aconchego, Intimidade, Salvação e Plenitude. Somente quem alarga o coração pelo desejo, pode exultar pelo Dom desejado e depois recebido.

7. Observações práticas

I. A Coroa do Advento: a) Deve ser abençoada na missa principal do primeiro domingo

b) Cada vela deveria ser acesa seguindo-se um rito próprio.

c) Deve ser toda verde, sendo ornamentada com bolas, flores e luzes somente a partir do dia 17 de dezembro.

d) Permanece na igreja até a Festa do Batismo do Senhor, quando retiram-se os ornamentos de Natal.

II. O presépio: a) Deve ser armado no dia 17 de dezembro, início da Semana Santa do Natal;

b) O menino Jesus somente deve ser colocado na Missa do Galo

c) Deve ser desarmado somente após a Festa do Batismo do Senhor

 

III. As Antífonas Ó: a) É recomendável cantá-las ao Aleluia do Evangelho da Missa de cada dia de 17 a 24

b) Pode-se colocá-las ao lado do Presépio, ladeada por velas, sobre uma estante, como um livro, do dia 17 de dezembro até o Batismo do Senhor

IV. As kalendas: a) São entoadas após o Ato Penitencial e antes do Glória da Missa do Galo.

b) Para facilitar, entoa-se com tom salmódico.

c) O modo de calcular a data da lua é o seguinte: subtrai-se 25- (dia da lua nova de dezembro) e anuncia-se o dia em número ordinal (por exemplo: “25o. da lua”).

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags