Meditação para XXII Domingo Comum - Ano A

O Evangelho deste Domingo reflete um momento crítico da vida do Senhor Jesus. Ele sabe que será massacrado por Seus inimigos, sabe que a vinda do Reino de Deus passaria pelo desastre da cruz. – Nunca esqueçamos isto: a vinda do Reino passa pelo desastre da cruz; não há possibilidade de entrar no Reino sem que abracemos a cruz: “É preciso passar por muitas tribulações para entrar no Rino de Deus” (At 14,22). Agora, o Senhor anuncia isso aos apóstolos: Ele iria sofrer e morrer para ressuscitar. Pedro não compreende como isso possa ser possível, não aceita tal caminho para o Mestre: “Deus não permita tal coisa, Senhor!” Eis que drama, caríssimos: a atitude de Pedro é a de muitos de nós: não compreendemos o caminho do Senhor, Seu sofrimento e Sua Cruz. Esse caminho do Senhor está presente na nossa vida; e nós não somos capazes de acolhê-lo, de perceber aí o misterioso desígnio de Deus. Nossa lógica, infelizmente, é tão mundana, tão terra-terra, tão presa à humana racionalidade, tão apequenada na medida da nossa lógica! A dura reprimenda do Senhor a Pedro vale também para nós: “Tu és para Mim pedra de tropeço, porque não pensas as coisas de Deus, mas sim as coisas dos homens”. Não nos iludamos: trata-se de duas lógicas sem acordo: não se pode abraçar a sede louca do mundo de se dar bem a