Ele, o Princípio! Ele, também o Fim! Ele sempre! A Ele a glória!

Chegamos, nesta semana, ao fim do ano litúrgico de 2017, com o último Domingo do ano da Igreja. Nele proclamamos o Senhor Jesus como Rei do Universo. O Apocalipse afirma: “Jesus Cristo é a Testemunha fiel, o primeiro a ressuscitar dentre os mortos, o soberano dos reis da terra”. Aqui está tudo! A afirmação é forte, bela, confortadora! Sendo a “Testemunha fiel” Jesus é o Sim do Pai à humanidade, é o cumprimento de todas as Suas promessas, que o Antigo Testamento anunciou e esperou. Ele é o cumprimento também de todos os sonhos do coração humano. Ele é a realização, a Palavra definitiva do Pai para nós, Palavra é de perdão, paz e salvação. Ele é o “primeiro a ressuscitar dos mortos”, o início de uma nova humanidade, que vence a Morte, que vence todo pecado, tudo aquilo que inferniza a vida humana e nos afasta de Deus. Ele é causa e modelo de nossa ressurreição: ressuscitaremos para Ele, o Ressuscitado! Ele é Cabeça, início e princípio de uma humanidade nova e liberta do pecado. Por isso Ele é “o Soberano dos reis da terra”: toda autoridade Lhe foi concedida e todo poder somente tem sentido se está a serviço de Sua autoridade, que é autoridade de vida, de paz, de graça, de justiça e de verdade! Celebrar Cristo como Rei do Universo é proclamar que o mundo, que a história não caminham como uma nau sem rumo, não marcham para um destino cego nem rumam ao sabor de um acaso tirano e malvado. Tudo está nas mãos Daquele que é o nosso Salvador. Por mais que haja na nossa vida e na história humana, na criação e no nosso íntimo tantos sinais de escuridão, tantos aparentes absurdos, nunca esqueçamos: Ele tem tudo nas Suas mãos benditas! Podemos dizer: “Senhor, Tua sabedoria é maravilhosa! Senhor, bendito sejas Tu, que guardas os segredos e os mistérios!” Portanto, os cristãos, não temos medo da história, das dificuldades, das lutas. Nossa vida e a do mundo caminha para Cristo e é iluminada pela Sua luz. Aquele que é o Alfa, o Princípio de tudo, é também o Ômega, o Fim, a Finalidade de todas as coisas! Por isso mesmo, celebrar o Cristo como Rei do Universo é um compromisso de estabelecer na terra os valores do Seu Reino: reino de verdade e de vida, reino de santidade e de graça, reino de justiça, de amor e de paz. Ele vem... E nos espera, como Rei, no futuro que pertence a Ele, mas que preparamos e plantamos no presente! Ele vem: