Os ídolos e o Emanuel

Você tem acompanhado toda a lama que impregna o nosso País? Governo corrupto, políticos corruptos, empresários corruptos, estatais corrompidas, povo roubado, enganado, ultrajado...

Você tem visto como os ídolos têm pés de barro? Eram mentira, eram apenas homens, e bem falíveis, bem dissimulados, bem corruptos.. . Um cristão não deveria endeusar governos, governantes, ideologias ou sistemas! Deveríamos sentir vergonha e tristeza quando vemos clérigos, religiosos ou leigos idolatrando seja qual for o político, seja qual for a ideologia... Uma grande mentira: endeusa-se o Estado, diviniza-se a ideologia, idolatra-se um homem, pobre filho de Adão, barro que volta ao pó!

Não! Definitivamente, não! Sem Deus - o Deus verdadeiro, aquele que Se manifestou em Jesus nosso Senhor - o homem cria ídolos, o homem idolatra o que é passageiro, relativo, fugaz! E termina caindo na ilusão, na mentira, absolutizando o que é relativo!

Estamos para celebrar o santo Natal. Deus escolheu entrar na história humana discretamente, quase na ponta dos pés. Não se iluda, meu caro Amigo: na fraqueza desse Menino reside a força, na pequenez desse Conselheiro Admirável reside a grandeza infinita, na humildade desse Príncipe do Eterno Conselho reside a Glória que nos transfigura! Jesus! Ele, sim, nunca passará!

Ele, sim, libertador e redentor do homem! Ele, sim, nossa vida, nossa paz, nossa dignidade maior! Preparemo-nos para bem celebrar o Seu Natal! Como pede a belíssima oração da Liturgia de amanhã, dia 19 de dezembro: “Deus todo-poderoso, dando-Vos graças pelos dons recebidos, fazei-nos desejar o que em breve nos dareis. Assim acolheremos com o coração puro o nascimento do nosso Salvador, que vamos celebrar”.