Meditação 3 | Retiro Quaresmal - "São estas as palavras..."

Reze o Salmo 119/118,17-24 Agora, leia com piedade e um coração que escuta na fé Dt 1,19-46. 1. Esta é uma perícope dramática, que traz tristes recordações para Israel! Também para nós, tratam-se de palavras tremendas e de sérias advertências! Vemos meditar sobre ela nesta meditação e na próxima. 2. Releia o v. 19: depois da experiência fortíssima da presença do Senhor Deus no Horeb/Sinai, experiência da santidade tremenda e, ao mesmo tempo, do carinho e da proximidade do Senhor Deus, que cuida do Seu povo, Israel foi conduzido por Deus para caminhar “através de todo aquele grande e terrível deserto”. Sim, Deus coloca os Seus à prova, fá-los caminhar, não os poupa das lutas, dos desafios e reveses da vida! É mentiroso quem promete, em Nome de Deus, facilidades, sucessos, bens materiais! O Senhor educa o Seu povo, conduz o Seu amado Israel por um deserto grande e terrível para fazê-lo crescer… Para refletir: Olhe um pouco o seu caminho, reflita sobre o traçado da sua própria vida, por onde o Senhor o fez caminhar… Com gratidão, confiança e abandono, diga ao Senhor, de todo o coração, as palavras do Salmista: “Tu contaste meus passos de errante; recolhe minhas lágrimas no Teu odre. Não anotaste tudo isto no Teu Livro?” (Sl 56/55,9). 3. Nesta perícope, várias vezes, apela-se para a experiência que Israel fez: o povo havia visto e experimentado o deserto (cf. v. 9), havia visto como o Senhor combatera, antes, os egípcios (cf. v. 29b), experimentara também o carinho providente do Senhor, que o conduzira como um homem leva o seu filho (cf. v. 31). Também nós – cada um de nós! – pode recordar sua história, seu caminho… Se o fizer com olhos e coração de fé, perceberá como, em tantos momentos, o Senhor veio em nosso socorro, tomo-nos pela mão, salvou-nos! É importante recordar sempre esses acontecimentos, guardá-los no coração como um tesouro, para alimentar sempre nossa confiança na presença protetora do Santo na nossa vida! Esquecer é início de todo o pecado e de toda a descrença: “Bendize ao Senhor, ó minha alma, e não esqueças nenhum dos Seus favores. É Ele Quem sacia teus anos de bens e, como a águia, tua juventude se renova!” (Sl 103/102,2.5); “Eu me lembro, sempre me lembro, transido dentro de mim. Eis o que recordarei ao meu coração e por que eu espero: os favores do Senhor não terminaram, Suas compaixões não se esgotaram; elas se renovam todas