Homilia para o I Domingo da Quaresma – Ano B

Gn 9,8-15 Sl 241Pd 3,18-22 Mc 1,12-15 Chegaram, para nós, os sagrados dias da Quaresma: dias de oração, penitência, esmola, combate aos vícios e leitura espiritual. Esses dias tão intensos nos preparam para as alegrias da Santa Páscoa do Senhor. Estejamos atentos, pois não celebrará bem a Páscoa da Ressurreição quem não combater bem nos dias roxos da Quaresma. A Palavra que o Senhor nos dirige já neste Primeiro Domingo é uma séria advertência neste sentido. A leitura do Gênesis nos mostrou como Deus é cheio de boas intenções e bons sentimentos em relação a nós: depois de haver lavado todo pecado da terra pelo dilúvio, como deseja nos purificar neste Tempo santo, misericordiosamente, o Senhor nosso Deus fez aliança com toda a humanidade e com todas as criaturas: “Eis que vou estabelecer Minha aliança convosco e com todos os seres vivos! Nunca mais criatura alguma será exterminada pelas águas do dilúvio.” E, de modo poético, comovente, como um guerreiro que desiste da guerra e pendura o seu arco, o Senhor colocou no céu o Seu arco, o arco-íris, como sinal de paz, de ponte que liga a criatura ao Criador: “Ponho Meu arco nas nuvens, como sinal de aliança entre Mim e a terra!” Com esta