Meditação 21| Retiro Quaresmal - "São estas as palavras..."

Reze o Salmo 119/118,161-168 Agora, leia com piedade, com atenção e um coração que escuta Dt 16,9-12 1. Estes versículos tratam da Festa das Semanas, que os judeus chamam de Shavuot (semanas), e que nós chamamos Pentecostes. Juntamente com a Páscoa e a Festa das Tendas, era uma festa na qual os judeus peregrinavam para Jerusalém. O Povo de Deus saiu do Egito celebrando a Páscoa e, sete semanas após (7 semanas são 49 dias), chegou ao Monte Sinais, onde recebeu a Torá, a Lei! Assim, no quinquagésimo dia os israelitas celebram a Festa das Semanas, que também coincide com a colheita do trigo. Nesta festa, Israel comemora o dom da Lei, dada a Moisés no Monte Sinai entre trovões, línguas de fogo e tremor de terra (cf. Ex 19,16; 20,18). O dom da Lei é um evento tão grandioso para Israel, que é contado nas Santas Escrituras como uma tempestade, um terremoto e uma erupção vulcânica, três fenômenos aterradores, que exprimem a santidade, a grandeza, a onipotência do Deus de Israel! Para ter uma ideia da grandeza que a Palavra Santa nos quer incutir, reze o Salmo 29/28, que canta a grandeza do Senhor Deus, evocada numa forte tempestade. 2. Na Nova e Eterna Aliança, a Lei não é mais a Torá, não é aquela gravada em pedras e feita de preceitos, entregue a Moisés, mas é o próprio Espírito de Cristo imolado e ressuscitado, Espírito de Amor derramado em nossos corações (cf. Rm 5,5). A Lei, que era uma realidade exterior, agora nos é interior: o Espírito de Cristo que Se une ao nosso espírito, que o inflama, que o convence e o consola! O novo Sinais é o Cenáculo envolto em tremor de terra, vento impetuoso e línguas de fogo (cf. At 2,1-4). Como a Lei estaria com Israel, a partir de então, o Espírito de Cristo estará para sempre com a Igreja, Novo Povo de Deus. Esse Espírito bendito, está presente na Palavra e é dado nos sacramentos da Igreja, de modo que celebrar os sacramentos – os sete! – é tornar atual e atuante o Pentecostes! E, na Igreja, o Divino Espírito é Vida divina, é luz, é energia, é vitalidade, é dinamismo, é força, é potência salvífica, é penhor da Eternidade! Assim, cumpriram-se as Escrituras de Israel: o Messias, Ungido pelo Pai com o Espírito, agora derramou e derrama continuamente o Seu Espírito no íntimo da Igreja e de cada membro seu, dando-lhe a salvação, que é a Vida divina. Veja como isto for a prometido na Antiga Aliança: (A) Jr 31,31-34: O Senhor Deus promete uma Nova