Please reload

Posts Recentes

Is 53,10-11

Sl 32

Hb 4,14-16

Mc 10,35-45

Comecemos observando o Evangelho.

Notemos como os dois irmãos, Tiago e João, se dirigem a Jesus: “Queremos que faç...

Homilia para o XXIX Domingo Comum - Ano B

October 23, 2018

1/2
Please reload

Posts Em Destaque

A Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo Lucas - XII

April 16, 2019

 

 

 

 

Começaram então a acusá-Lo, dizendo: “Achamos este homem fazendo subversão entre o nosso povo, proibindo pagar impostos a César e afirmando ser Ele mesmo Cristo, o Rei”. Pilatos O interrogou: “Tu és o rei dos judeus?” Jesus respondeu, declarando: “Tu o dizes!” Então Pilatos disse aos sumos sacerdotes e à multidão: “Não encontro neste homem nenhum crime”. Eles, porém, insistiam: “Ele agita o povo, ensinando por toda a Judeia, desde a Galileia, onde começou, até aqui”. Quando ouviu isto, Pilatos perguntou: “Este homem é galileu?” Ao saber que Jesus estava sob a autoridade de Herodes, Pilatos enviou-O a este, pois também Herodes estava em Jerusalém naqueles dias (Lc 23,2-7).

 

Já expliquei, caro Irmão, a falsidade, a montagem das acusações dos judeus contra Jesus diante do tribunal de Pilatos. O Procurador romano interroga o Senhor e Jesus responde. Pilatos percebe claramente que a resposta de Jesus é num plano diferente daquele da pergunta. O Procurador havia perguntado num sentido político; Jesus respondera num sentido religioso. Jesus é, sim, rei dos judeus, enquanto Messias descendente de Davi. Mas Seu reinado não trazia nenhuma reivindicação política: “Meu Reino não é deste mundo, Meu Reino não é daqui!” O Reinado de Cristo é aquele do Pai: trata-se de fazer com que o mundo acolha no coração o Reinado do Pai que Ele anuncia e cuja Face ele veio revelar. O Reinado do Pai é Seu porque “tudo que o Pai tem é Meu. Eu e o Pai somos um!” Além do mais, porque Jesus Se fez obediente até a morte e morte de Cruz, o Pai O exaltou e Lhe deu o Nome acima de todo nome, o Nome de Senhor, isto é, o Nome do próprio Deus de Israel: Adonai!

 

Os judeus persistem na acusação. Pilatos procura livrar-se daquele julgamento, para ele sem sentido. Escutando que Jesus vinha da Galileia, vê aí a sua chance: ele era Procurador da Judeia. Roma havia deixado que a Galileia fosse governada por um rei fantoche: Herodes Antipas, o filho de Herodes o Grande (o que matou as criancinhas em Belém). Antipas fora o que mandara matar João Batista... O rei galileu também estava em Jerusalém, porque tinha vindo para a Páscoa... Pilatos mandou Jesus para Antipas! E lá foi o Senhor, joguete dos grandes do mundo, ridicularizado, tido por um demente...

 

Deus Santo, por que tem que ser assim? Por que os Teus são pisados e tidos por loucos? Por que o Teu Reino aparece sempre tão pequeno, tão ridículo, tão sem lógica, importância ou expressão?

Converte-nos, Senhor – converte-me e mim! – para que eu compreenda a Tua lógica, tão diversa daquela outra, do mundo!

Bendito o Teu Reino, Pai santo, Reino que se manifesta no Teu Ungido preso, humilhado, ridicularizado!

Bendito o Teu Reino que perdura para sempre, de eternidade em eternidade!

 

Nós Vos adoramos, Santíssimo Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos, porque pela Vossa santa Cruz remistes o mundo!

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags