Please reload

Posts Recentes

Is 53,10-11

Sl 32

Hb 4,14-16

Mc 10,35-45

Comecemos observando o Evangelho.

Notemos como os dois irmãos, Tiago e João, se dirigem a Jesus: “Queremos que faç...

Homilia para o XXIX Domingo Comum - Ano B

October 23, 2018

1/2
Please reload

Posts Em Destaque

O caminho para a Páscoa na Liturgia da Palavra (IX)

April 16, 2019

 

 

 

 

Jo 8,31-42

 

Este é um texto de impressionante profundidade. Texto denso, como muitos no IV Evangelho! Antes de tudo, convém compreender que o Evangelista misturou duas falas de Jesus nosso Senhor: uma, dirigida aos judeus que haviam crido Nele (cf. vv. 31-36), e outra, certamente dita em outra ocasião, aos chefes judeus – escribas, fariseus, saduceus, anciãos do povo (cf. vv. 37-42).

 

É impressionante o quanto as palavras do Salvador calham admiravelmente com o que estamos meditando no Retiro Quaresmal sobre a Epístola aos Gálatas! Os judeus que haviam acreditado em Cristo lembram os cristãos-judeus que chegaram na Galácia querendo fazer os gálatas abraçarem a Lei de Moisés, sem permanecerem na Palavra de Cristo! Creram no Senhor, mas não estavam permanecendo! Estavam voltando à Lei de Moisés e, assim, ao invés de ficarem livres, continuavam debaixo do jugo da Lei – e a Lei somente pode mostrar o pecado deles mesmos (cf. Jo 7,19).

 

De nada servia aos judeus-cristãos pensarem que eram superiores aos outros porque descendentes de Abraão! O que vale agora é a fé em Jesus Cristo, é a adesão amorosa à Sua sagrada e divina Pessoa! Ismael também era filho de Abraão e, no entanto, foi expulso de casa, como um escravo (cf. Gn 21,10)... Assim, os judeus que não cressem em Jesus Cristo verdadeiramente, não seriam realmente filhos! Somente sendo filhos no Filho, no novo Isaac, verdadeiro Descendente de Abraão, é que os judeus poderiam ser filhos – eles e os gentios que também cressem no Senhor!

 

 

Ainda um esclarecimento importante: permanecer na Verdade, aqui, é permanecer em Cristo! Usa-se muito esta frase num sentido superficial e que não tem nada a ver com seu sentido profundo: Cristo é a Verdade! Quem O encontra e Nele permanece vive na Verdade, caminhando numa vida realmente autêntica, segundo a vontade do Pai, sendo herdeiro da Vida eterna! Viver na Verdade que é Cristo, é deixar-se impregnar pelo Espírito de Cristo, Nele viver e por Ele ser conduzido, não satisfazendo os desejos da carne, mas produzindo na vida os frutos do Espírito! É este o sentido desta afirmação do Senhor! Só há dois modos de viver: vier na Verdade que é Cristo ou viver na ilusão, fora de Cristo! 

 

Depois, no segundo bloco destes dizeres do Senhor, o Cristo refere-se aos chefes judeus. Eles não são filhos de Abraão: o Patriarca creu na Promessa de que viria um Descendente (cf. Gn 15,5s)! Os judeus não creem no Descendente; antes, procuram matá-Lo! Então, não são filhos de Abraão, que creu, mas filhos do Diabo que, é homicida e, desde o princípio, incitou Caim a matar Abel (cf. Gn 4,5-8; 1Jo 3,8.11s). Aqui, aparece claro que a luta que o Senhor Jesus trava com os judeus é sintoma de uma luta muito mais profunda: aquela contra o Diabo! Quanto ao Senhor, faz a vontade do Pai, e vem em Seu Nome, fazendo-Se por nós obediente até a morte e morte de Cruz!

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags