Please reload

Posts Recentes

Is 53,10-11

Sl 32

Hb 4,14-16

Mc 10,35-45

Comecemos observando o Evangelho.

Notemos como os dois irmãos, Tiago e João, se dirigem a Jesus: “Queremos que faç...

Homilia para o XXIX Domingo Comum - Ano B

October 23, 2018

1/2
Please reload

Posts Em Destaque

Meditação I: Viver na Verdade | Retiro Quaresmal 2020

February 27, 2020

 

 

Meditação I: Viver na Verdade

 

Reze o Salmo 119/118,1-8

Como lectio divina, leia piedosamente Tb 1.

 

1. Neste capítulo, Tobit, o pai de Tobias, apresenta-se. Ele é um modelo de judeu piedoso, que ama o Senhor Deus e cumpre os Seus preceitos e pode ser um modelo para nós, cristãos. Afinal, que é um cristão, senão alguém que verdadeiramente crê em Jesus como o Cristo, Filho de Deus e, assim, segue-O na vida, guardando os Seus preceitos? Vejamos, nesta meditação e na próxima, alguns aspectos do caminho deste homem piedoso diante de Deus:

 

2. Logo no início, no v. 3, Tobit afirma que trilhou sempre o caminho da verdade todos os dias da sua vida... A Verdade, nós sabemos, é Cristo nosso Senhor e tudo quanto a Ele se refere, tudo quanto Dele decorre. Então, quando as Escrituras falam em “verdade” não se referem a uma afirmação que pode ser verdadeira ou falsa, não pensam na verdade lógica, histórica ou científica... A verdade, nos Livros Santos, refere-se à vida, ao sentido da existência de tudo: é verdade o que existe diante do Senhor Deus, é verdadeiro o que é de acordo com a vontade e o desígnio do Altíssimo, porque somente Ele é o Verdadeiro, o Existente e Consistente! Fora Dele, tudo se esvai como a fumaça, como a erva que fenece; fora Dele tudo é ilusão, é mentira, é vaidade (cf. Ecl 1,1ss)! É este o sentido profundo das palavras do Salmo: “As sendas do Senhor são todas amor e verdade” (Sl 25/24,10). Em outras palavras: quem caminha com o Senhor, caminha na verdade, na realidade mais profunda, não cai na ilusão, não vive uma existência vazia e sem sentido. É neste profundo sentido que a Primeira Epístola de São João chama o Senhor Deus de “o Verdadeiro”, a Quem devemos conhecer e no Qual devemos estar, existir, permanecer. Leia 1Jo 5,20. Viver no Senhor é viver na verdade; Dele afastar-se é cair na mentira, numa existência vazia, ilusória, que conduz ao vazio neste mundo e ao Vazio definitivo e tremendo na outra vida. É isto que Tobit quer dizer quando afirma que trilhou os caminhos da verdade: ele trilhou os caminhos de Deus, viveu diante do Senhor, procurando ser-Lhe fiel!

 

3. Ora, os caminhos de Deus não são aleatórios, não são aqueles que, de acordo com as modas do momento, o mundo julga ser bons... Atenção que o deus da moda, o deus da maioria, o deus do politicamente correto, o deus bonzinho que tudo aceita, engole e perdoa sem conversão, não é o Deus verdadeiro; é um ídolo, não existe! Os caminhos do Deus verdadeiro, os caminhos dos mandamentos são expressos naquilo que o Senhor Deus revelou nas Escrituras Santa e na doutrina constante e imutável da Sua Igreja: “A descoberta de Tuas palavras ilumina e traz discernimento aos simples. Abro minha boca e aspiro, pois anseio pelos Teus mandamentos” (Sl 119/118,130s). Portanto, que nos fique bem claro: caminhar na verdade é caminhar com o Senhor, escutando o que Ele nos revelou pelas Escrituras e a interpretação constante e ininterrupta dada pela Igreja, prestando a esta revelação sagrada a “obediência da fé” (Rm 1,5) que brota do amor! Isto significa que a primeira palavra de Cristo para nós, Seu primeiro apelo, Sua primeira exortação é: “Convertei-vos e crede no Evangelho!” (Mc 1,15b)

 

4. Demos um passo adiante. O cristão sabe que tudo quanto foi escrito no Antigo Testamento, tudo quanto aconteceu na Antiga Aliança foi uma preparação para o Cristo (cf. 1Cor 10,6-11). Todo o Antigo Testamento é verdade porque nos fala da Verdade que é Jesus Cristo, para Ele nos prepara, para Ele nos conduz. É o Senhor Jesus Cristo, Verdade feita carne, que ilumina o Antigo Testamento e torna verdadeira cada palavra ali contida, porque tudo caminha para Ele e Dele dá testemunho! Leia 1Pd 1,10-12. É o Senhor Jesus Cristo a única Verdade que nos liberta: “Se permanecerdes na Minha palavra, sereis verdadeiramente Meus discípulos e conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará” (Jo 8,31s). Em outras palavras: quem é discípulo do Cristo Jesus, permanece na Sua palavra, nos Seus preceitos – e o Seu preceito é o amor! Vivendo no amor de Cristo, o cristão viverá de verdade, viverá segundo Deus, viverá na Verdade, Naquele que disse: “Eu sou a Verdade!” (Jo 14,6). Pois bem! Sendo cristãos, para nós, viver na verdade é muito mais do que para o velho Tobit, pois ele ainda estava na Antiga Aliança, no tempo da preparação para o Cristo; ele vivia a verdade vivendo na prática dos preceitos da Lei de Moisés. Para nós, viver na verdade é viver no mandamento de amor a Deus e ao próximo, como Cristo viveu e nos ensinou como preceito, “porque a Lei foi dada por meio de Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo” (Jo 1,17).

 

5. Nas próximas meditações vamos aprofundar algumas das atitudes e práticas concretas do velho Tobit, atitudes que o faziam viver na Verdade. São um belo exemplo e uma fecunda provocação para todos nós... Por agora, é importante que você se pergunte com toda a sinceridade:

 

a) Quem é a verdade, isto é, o critério último da minha existência: o mundo, as opiniões das pessoas, meus caprichos, as ideologias do momento ou o Cristo Senhor?

 

b) Eu vivo na Verdade, que é Cristo, ou nas minhas verdadezinhas ilusórias, que não passam de mentiras, pó que o vento leva?

 

c) Procuro encontrar o Senhor e Sua verdade nas Escrituras Santas interpretadas retamente pela Igreja na sua vida, na sua liturgia perene e no seu magistério ininterrupto?

 

d) Tenho consciência de que para deixar minhas verdadezinhas e caminhar na Verdade preciso converter-me continuamente ao Senhor?

 

6. Leia e reze: Rm 7,14-25; Jo 17,1.6-17; Sl 18/19,8-15

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags