Please reload

Posts Recentes

Is 53,10-11

Sl 32

Hb 4,14-16

Mc 10,35-45

Comecemos observando o Evangelho.

Notemos como os dois irmãos, Tiago e João, se dirigem a Jesus: “Queremos que faç...

Homilia para o XXIX Domingo Comum - Ano B

October 23, 2018

1/2
Please reload

Posts Em Destaque

Meditação XVII: Enviar-te-ei o Meu anjo! | Retiro Quaresmal 2020

March 18, 2020

 

 

Reze o Salmo 119/118,129-136

Leia novamente Tb 5 e avance, lendo também Tb 6.

 

1. Os capítulos 6 a 8 são intensos na trama narrativa do Livro. A vontade é lê-los todos de uma vez. Mas, aqui, não se trata simplesmente de matar a curiosidade numa estória interessante e atraente, mas de escutar a Palavra de Deus, que nos fala, iluminando, interpelando-nos, chamando-nos à uma vida vivida diante de Deus nosso Senhor. Assim, sigamos com calma na leitura rezada e atenta deste texto sagrado.

 

2. Primeiramente, observe, nos capítulos 5 e 6, mais uma vez, a insistência na ação discreta e constante da providência divina: respeitando as iniciativas e a liberdade humana, Deus, tudo guia de acordo com a Sua santa vontade, de modo que tudo concorra para o bem daqueles aos quais Ele ama. Leia Rm 8,28-31. Iluminando a narrativa de Tobias com este texto de São Paulo, deve aparecer claro para nós como toda a história sagrada, mesmo nos seus detalhes e particularidades, mesmo nas tantas histórias dentro da história, de modo direto ou indireto, nos encaminha para o Cristo, nosso Salvador! Também a nossa história – a minha e a sua – misteriosamente está ligada à salvação em Cristo! Você é capaz de ler nas linhas da vida esta ação da providência divina? É capaz de compreender sua existência à luz do Cristo Senhor?

 

3. Veja a providência divina: (1) Tobias encontra Azarias, o melhor guia de viagem possível, logo ao sair da presença do velho Tobit (cf. vv. 1-8); (2) no caminho, Tobias encontra o peixe que serve para expulsar demônios e curar doença nos olhos (cf. vv. 7-9), (3) a hospedagem na casa de Raquel, o pai de Sara, um parente do velho Tobit que morava em Ecbátana no caminho para Rages (cf. vv.10s).

Pense um pouco: Você sabe ver a providência de Deus no caminho da sua vida ou somente enxerga coincidências? Você confia na providência do Senhor? Reze o Sl 121/120. Reze um momento, colocando sua vida nas benditas mãos do Eterno! Tem algum problema ou situação que o preocupa particularmente nestes tempos? Coloque-o agora nas mãos do Senhor! Reze novamente o Sl 121/120. Que o Senhor te guarde em todas as partidas e chegadas da vida, como guardou o jovem Tobias!

 

4. Mais ainda: que o Senhor te conceda um anjo bom que o inspire, oriente e o proteja! Foi este o mesmo desejo de Tobit em relação ao seu filho Tobias. Veja os vv. 17 e 22. A tradição das Escrituras e o constante magistério da Igreja nos ensinam a existência de anjos que o Senhor Deus nos deu para nos guardar. É o anjo da guarda que cada pessoa tem.

Alguns, confiando mais na própria esperteza que na Palavra de Deus e na fé católica e apostólica, dizem que a crença nesses anjos guardiães não tem sentido... Mas, erram! Primeiramente é um ensinamento presente nas Escrituras Santa e, além do mais, uma convicção profunda da Igreja, presente até mesmo na sua Liturgia. Basta pensar na festa dos santos anjos da guarda, no dia 2 de outubro. A Igreja celebra a sua fé; e a sua fé não é lenda ou folclore, mas realidade revelada por Deus, ainda que ultrapasse a percepção dos nossos sentidos!

 

5. Mas, qual o significado de o Senhor Deus determinar um anjo da guarda para cada pessoa? Podemos pensar em três, dentre outros possíveis. Primeiro, o enorme valor do homem diante de Deus, mesmo sendo ele inferior aos anjos por natureza! O Salmista mesmo pergunta, cheio de admiração: “Que é o homem, para dele Te lembrares, e um filho de Adão, para vires visitá-lo? E o fizeste pouco menos que um anjo, coroando-o de glória e beleza” (Sl 8,5s). Segundo, a atividade dos anjos em nosso favor são expressão da compassiva providência de Deus, sempre próxima de nós e atuante na nossa vida. Em terceiro lugar, a bela crença que cada pessoa tem o seu anjo reflete o quanto o amor do Senhor é pessoal, dirigido a cada pessoa. O Senhor conhece cada um de nós pelo nome, sabe e acompanha amorosamente a história de cada um de nós. Leia Jr 1,5. Reze o Sl 139/138. Agora leia Ex 23,20-23.

Veja como o Senhor Jesus ensinou a existência dos anjos da guarda: Mt 18,10! Agora reze o Sl 91/90. Para finalizar: lembre de rezar diariamente a invocação carinhosa ao seu Anjo da Guarda: “Santo Anjo do Senhor, meu zeloso guardador, se a ti me confirmou a piedade divina, sempre me rege, me guarda, governa e ilumina. Amém.”

Terminemos com a oração da Igreja para a Missa dos Anjos da Guarda: “Ó Deus, que na Vossa misteriosa providência mandais os Vosso anjos para guardar-nos, concedei que nos defendam de todos os perigos e gozemos eternamente do seu convívio. Por Cristo, nosso Senhor! Amém.”

 

6. Ainda vale a pena chamar atenção para um outro tema nesta meditação: a hospitalidade de coração. O Texto Sagrado diz que Tobias, ao encontrar Rafael, “não sabia que era um anjo de Deus” (v. 4). Recorde que a palavra “anjo” significa mensageiro... Gn 18, 1-16: Abraão, nosso pai na fé, acolheu anjos sem saber e, acolhendo-os, acolhe o próprio Deus! Veja agora o belíssimo texto de Hb 13,1-3. Pense um pouco: o Senhor Deus, na Sua providência amorosa para com você, certamente, já colocou tantos “anjos” no seu caminho, já lhe enviou pessoas que, com um conselho, um gesto, um exemplo, tinham uma palavra de Deus para a sua vida; pessoas que necessitaram de uma ajuda sua, de uma palavra, de um afeto... Você soube reconhecer esses “anjos”? Soube acolher aqueles que Deus colocou ao seu lado, na porta do seu coração? Feliz aquele que sabe ter um olhar de fé; verão a presença do Senhor na sua vida! Também nós, somos hóspedes do Senhor; e Ele nos acolhe! Reze o Sl 15/14.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags