Homilia para o XII Domingo Comum - Ano A

Jr 20,10-13

Sl 68

Rm 5,12-15

Mt 10,26-33

O Evangelho que escutamos neste Domingo é parte do capítulo décimo do Evangelho de São Mateus, que traz o Discurso apostólico do Senhor Jesus: aí, Ele chama os Doze - como ouvimos no Domingo passado, previne Seus discípulos para as incompreensões e perseguições que sofrerão, exorta-os a não terem medo de falar, afirma claramente que Ele mesmo, Cristo, é causa de divisão e, finalmente, renova o convite para segui-Lo.

Então, estejamos atentos, pois o Senhor nos está falando dos desafios próprios da missão de ser cristão, ontem como hoje!

Claramente, Ele nos previne sobre as dificuldades e perseguições: “Não existe discípulo superior ao mestre, nem servo superior ao seu senhor. Se chamaram Beelzebu ao Chefe da casa, quanto mais chamarão assim Seus familiares” (Mt 10,24s).

Estamos vivendo hoje, neste início de terceiro milênio, a verdade dessas palavras do Senhor. Basta que recordemos as terríveis censuras da cultura pós-cristã e neopagã atual à Igreja por suas posições quando verdadeiramente proclama a fé católica na sua integralidade. Num mundo que não aceita mais Deus como critério do homem e a religião como ministra e sinal do Eterno – a não ser no âmbito da vida privada, sem nenhuma importância para a sociedade –, anunciar o Cristo e Suas exigências virou um crime insuportável para a sociedade paganizada!